#VaiNessa: Futebol nao é futebol em todo lugar


*Texto feito originalmente para o Blog do Q?

Começando pelo nome, o jogo de equipe mais popular do mundo não é igual em todo lugar. Soccer (em inglês), fuβball (alemão), zúqiú (chinês), fodbold (dinamarquês), fútbol (espanhol), football (francês), calcio (italiano) e sakkā (japonês), são alguns exemplos. Em Portugal, entretanto, o nome é igual: futebol. Mas e daí? Nem por isso é igual, as gírias futebolísticas não são as mesmas.

Comprei o jornal português A Bola e comecei a ler as notícias sentada em um café no centro de Abrantes. Eis que algumas coisas começaram a não fazer sentido. Chamei o meu amigo abrantino Mike e disparei perguntas. Foi então que descobri as inúmeras diferenças embora o idioma seja o mesmo.

Demos boas risadas um do outro comentando as expressões usadas entre as quatro linhadas do campo - opa! mas campo não é campo pra eles, é "relvado" - nos dois países.

Então, preparei uma listinha com o que achei de mais interessante. Do lado esquerdo, a palavra em português do Brasil, no direito, a de Portugal.

Nomes das posições:
Goleiro = guarda-redes
Zagueiro = defesa central
Lateral = defesa-lateral
Volante = trinco
Meia = médio ou centrocampista
Alas = alas, médio-ala, extremo
Centroavante = avançado centro

Palavras e expressões futebolísticas:

Canhoto = esquerdino
Gol = golo
Temporada = época
Equipe = equipa
Uniforme = equipamento
Bandeirinha = fiscal de linha
Reserva = suplente
Arquibancada = bancada
Vestiário = balneário
Escanteio = canto
Tiro de meta = livre direto
Impedimento = fora de jogo
Embaixadinha = toques
Janelinha/caneta = cueca

Aproveito pra comentar que os principais times de Portugal são o Benfica (sede em Lisboa), o Sporting (Lisboa) e o Porto (Porto). Durante a minha estadia no país, só consegui visitar um dos estádios, que foi o Estádio da Luz, do Benfica, também conhecido como A Catedral.

A passos de formiga

O Grêmio só não tá mais parado que o Papo de Guria Futebol Clube (que foi atualizado pela última vez há quase um mês). Mas, a passos de formiga, ambos vão tomando seus rumos.

Meu amado Tricolor conseguiu vencer o Atlético Goianiense por 2 a 0 - poderia ter sido de mais se o Jonas fosse um pouquinho mais efetivo, mas são só detalhes - e se distancia do Z-4. UFA! Eu estava realmente ficando apreensiva, ainda mais de ver - acreditem, pela primeira - A Batalha dos Aflitos com os Mosqueteiros há poucos dias. Oito pontos em 12 disputados? É talvez a gente conquiste uma vaga na Sul Americana... Mas estou até me contentando com isto depois de avistar a Série B... XÔ ZICA! 

Bom, e quanto ao blog, este deve conquistar ainda menos postagens a medida que o semestre avança. Não estou afim de narrar minha luta contra as 24 horas que passam rápido de mais todos os dias. Acreditem, não tem nada de interessante nisso.

Vou ficando por aqui... talvez em breve eu volte com uma notícia bem boa. Por enquanto, são apenas especulações e muita, muuuuita vontade de que aconteça.

Um texto que faz sentido

Recorte da capa do livro
Em meio às explicações sobre a essência da moral - textos da disciplina de Ética, do professor-gás Hélio, num momento de distração, olhei pra cima e avistei "O time dos sonhos". Resgatei o presente dado pelo Predo (sem erro de digitação), um dos "meus" mosqueteiros, da estante de livros e fiz algumas leituras. Não ao acaso.

A primeira delas, que tenho certeza ser a melhor, mesmo não ter finalizado o exemplar de cabo a rabo, é a contracapa. Não sei o nome da crônica, onde foi publicada, nem quando, porque não há referência. Mas não importa. Para além do primor e do encaixe perfeito das palavras de Luis Fernando Veríssimo, a verdade incondicional e irrefutável do futebol. A explicação perfeita para aqueles que não entendem o amor futebolístico e, principalmente, pelos clubes de futebol - uma dessas pessoas, o Predo.

Se tu não tem um amigo como o meu, que dá um presente até mesmo sem concordar ideologicamente com ele, por assim dizer, eu reproduzo o texto que mais fez sentido pra mim nos últimos tempos - porque o Grêmio tem me deixado pesarosa. Talvez melhore com a chegada do Renato Gaúcho-que-devo-chamar-de-Portuppi, pois aqui no Sul não tem significado chamá-lo de Gaúcho, conforme o Joelzinho, o segundo mosqueteiro, e o Nicolas Não-comeu-pizza-Fraga. E também dos dois novos "sons", o Gilson e o Vilson - porque já havia o Adilson, o Edilson, o Maylson, o Bergson e o Roberson. E com o Inter prestes a nos igualar com o bi da Libertadores... Pois, melhor deixar o Veríssimo falar.


“Só o futebol permite que você sinta aos 60 anos exatamente o que sentia aos 6. Todas as outras paixões infantis ou ficam sérias ou desaparecem, mas não há uma maneira adulta de ser apaixonado por futebol. Adulto seria largar a paixão e deixar para trás essas criancices: a devoção a um clube e às suas cores como se fosse a nossa outra nação, desconsolo ou a fúria assassina quando o time perde, a exultação guerreira com a vitória. Você pode racionalizar a paixão, e fazer teses sobre a bola, e observações sociológicas sobre a massa ou poesia sobre o passe, mas é sempre fingimento. É só camuflagem. Dentro do mais teórico e distante analista e do mais engravatado cartola aproveitador existe um guri pulando na arquibancada.” 

Ganhei o bolão e um baita plus no currículo

Eu e o Paul acertamos que a Fúria ganharia a Copa do Mundo 2010. A diferença é que perguntaram pro polvo dias antes da final. Enquanto eu chutei a Espanha um dia antes do Mundial começar. Eu e mais quatro jornalistas da Gazeta, assim, o prêmio de R$ 300 foi dividido. Mas tá bem bom.

Afinal, quando contei em quem havia apostado, lá no começo da Copa, ninguém me deu moral. O Messi continuava a ser apontado como craque, o Felipe Melo ainda não havia levado vermelho, a Alemanha somava cada vez mais gols e a Holanda era apenas uma zebra. Mas os resultados não foram como a maioria previa. Eu e o Paul fomos apenas uma marola (não fomos com a maré, entendeu a piadinha sem graça, né?) e nos demos bem.

O polvo tá se aposentando com 100% de aproveitamento e tá valendo uma bolada. Enquanto euzinha, saio da Copa da África, além de com R$ 50 a mais no bolso (já que o investimento foi de R$ 10), como ex-aprendiz e uma baita experiência no currículo. Hoje à noite vamos jantar no Quiosque, eu, os outros nove aprendizes, professores da Unisc e colegas da Rádio Gazeta, e saberemos quem será o grande campeão da disputa paralela. Mesmo sabendo que não serei campeã, pois sai na semi-final, já me considero uma.

Ossos do ofício

Vida de jornalista nem sempre é fácil. Têm coisas boas, como entrevistar músicos (como o Armandinho, ontem, ao vivo no Bailão da 101 e no camarim à noite), mas também têm algumas ruins. Tipo ontem, no show do Armandinho, quando tive que entrevistar o Bolívar, zagueiro do Inter.

O cara é amigo pessoal do cantor, que é colorado, foi visitá-lo no hotel estava no show ontem, no front vip da Inside, bem próximo de onde eu estava. Ainda por cima o Armandinho anunciou do palco a presença do jogador. Como que e não ia entrevistá-lo? Fiz o meu papel de jornalista (veja a matéria aqui).

Mas ainda bem que os gremistas (que, visivelmente, eram a maioria) fizeram o seu papel e vaiaram o anúncio - já que eu não pude, pois estava com o crachá do Gaz e ia ficar chato se ele visse né. Para amenizar o clima, o Armadinho tentou consertar: "ainda bem que o Bolívar pai é gremista, aí fica tudo bem", disse ele. Ainda bem. Homem bom esse.

Ps: reparem no meu sorriso amarelo, na foto.

Blogueira é matéria no jornal

Há! E não é que este blog foi o grande causador da minha pessoa ter sido matéria no jornal de hoje? Isso mesmo. Sabendo que escrevo sobre futebol aqui e, principalmente, pelo fato de eu ser "guria" que gosta do assunto, a Michelle Treichel me entrevistou e fez um texto bem legal sobre o meu interesse futebolístico que foi publicado na Gazeta do Sul.

Fora o fato de que não tenho batons na minha bolsa, o resto todo é bem como é. Gosto de futebol, tenho livros sobre o assunto na bolsa (inclusive um presente do grande amigo Pedro Garcia), tenho um blog criado na disciplina da faculdade, meu pai que despertou a paixão tricolor em mim, meu namorado estimulou meu interesse em estudar sobre esporte, faço parte do Aprendiz, quero fazer minha monografia no assunto... Bom, também não preciso dizer tudo. Se quiser, tu pode ler direto no site do jornal, por meio de pdf, ou na figura abaixo.


Mais uma notícia legal: hoje aconteceu o terceiro jogo do Brasil na Copa do Mundo. Consequentemente, minha terceira atuação no projeto Aprendiz na Copa (em breve coloco o áudio com momentos do jogo). A melhor parte, ainda, é que permaneço no projeto, pelo menos até a próxima segunda-feira, quando o Brasil joga contra o Chile. Hoje um integrante foi eliminado; nas oitavas-de-final mais dois; nas quartas mais dois; e nas semi mais dois. Não sei se chego lá (espero que sim, porque tô adoraaaando participar), mas de qualquer forma, a experiência já valeu. E muito.


A propósito, dá uma força e vota em mim no blog do Aprendiz na Copa? É só clicar em "Vanessa"  abaixo da pergunta de "Quem está batendo um bolão?". Obrigada :P

Muito forte; forte mesmo

Eu sou uma péssima bloggeira, eu sei. Já se passam quatro semanas desde que este blog foi atualizado. Para um bog, isso é quase um decreto de morte. Mas espero compreensão. Este último mês foi o mais intenso de todos os meses destes últimos sete semestres. Sem exageros!

Além das cinco disciplinas - quem incluem dois jornais Unicons, um projeto experimental entregue ontem, cuja banda é na quarta que vem e um documentário de rádio em fase de finalização -, mais aulas de inglês, mais projeto de pesquisa - cujas leituras tenho que colocar em dia ainda, se não a Fabi me chinga -, mais o trabalho no Gaz e, por último e nada menos importante, o Aprendiz na Copa - cujo último jogo antes da primeira eliminação acontece amanhã de manhã.

A propósito, em se tratando de papo de guria futebol clube, creio que futebol é o assunto que mais interessa quem lê este blog - se é quem leem, mas isso não faz muita diferença pra mim, gosto mesmo é de escreve (quando tenho tempo).

Assim, estou colocando os áudios dos dois últimos jogos da Seleção Brasileira, contra a retrancada Coreia do Norte e contra os elefantes da Costa do Marfim, com momentos em que executo narração, comentário, reportagem e plantão.

Explicando o título: eu já tenho um bordão. Ele nasceu da minha estreia como narradora, no jogo entre Grêmio e Atlético Mineiro. A defesa tava forte, muuuito forte. Forte mesmo. O pessoal riu da minha saída pela tangente, já que não me vinha mais nada para dizer. Então, adotei. Nos áudios abaixo deve ter, em algum momento, o meu bordão.



Muitos aprendizados com Juca Kfouri

A noite da última quinta-feira, dia 21, foi de aprendizados para mim enquanto jornalista. A vinda de um dos maiores nomes do jornalismo esportivo do país para Santa Cruz do Sul foi ainda mais do que esperava. O ápice da noite foram as duas coletivas de imprensa das quais pude participar. Mas não foi só isso.

Juca Kfouri veio à Unisc pariticipar do Diálogos Universitários, programa da Souza Cruz em parceria com a Empresa Jovem da Unisc, Unijr. O evento em si proporcionou a primeira das oportunidades da noite: escrever uma espécie de release sobre a palestra, com o qual estaria concorrendo com outros dois alunos, para ser publicado no site oficial do evento e, ainda, receber prêmio em dinheiro. Escrevi e ganhei. Que alegria! (Leia o texto aqui)

O ápice veio em seguida. Eu, como uma aprendiz da copa, pude participar da coletiva de imrpensa com o jornalista junto de outros meios de comunicação e, em seguida, eu e alguns dos outros aprendizes tivemos uma entrevista exclusiva com ele (foto). Na verdade foi quase uma conversa com o cara que não tem nada de mau humor, como muitos dizem e, sim, possui muita bagagem nas costas - já são sete Copas do Mundo e está rumo à oitava - e que não tem medo de dizer o que pensa e o que sabe, entendendo que este é o seu papel como jornalista.

O terceiro aprendizado foi a própria palestra, na qual fez todo um restrospecto sobre a cobertura das Copas do Mundo, seguindo a lógica da evolução tecnológica. Deu a sua opinião sobre a convocação do Dunga - ele levaria vários outros nomes e tiraria alguns da lista -, falou sobre como o futebol brasileiro é mal administrado pela CBF, afirmou que o Brasil não é o país do futebol, já que um quarto dos brasileiros não gosta do esporte, mas que é o país que mais se une em torno da Copa do Mundo, até quem não gosta do esporte. E por aí vai.

Disso tudo, da coletiva e da palestra, tive que fazer uma matéria de dois minutos para o Aprendiz na Copa, que será avaliada. Que desafio!

Deu pra ver o quanto pude me exercitar enquanto jornalista, né? Mas ainda tive meu momento de tiete e pedi para ele autografar o livro "11 gols de placa", que contem uma de suas grandes reportagens, sobre o escândalo da CBF com a Nike, publicado em 1999. (foto) E ainda dei uma de publicitária, entregando o jornal Unicom, feito por mim e pela turma de Produção em Mídia em Impressa, sobre o qual ele só fez elogios - leia o post no blog do Unicom sobre isso.

Uma noite e tanto, enfim.


Fotos são do Thiago Barbosa (Portal Gaz)

Legendas:
(1) Aprendizes: João Cléber, Diogo, Carola, Lucas, eu, Joana, Nikolas e Tiago.
(2) Coletiva de imprensa
(3) Juca autografando meu livro
(4) Aprendizes com o Juca Kfouri
(5) Juca Kfouri segurando o Unicom



Começa o desafio de ser uma aprendiz

Eu já havia contado que faço parte de um projeto entre a Unisc e a Rádio Gazeta Am. Pois ontem participei da primeira reunião com outros cinco "aprendizes da Copa". No total somos dez.  O resultado? Muito, mas muito frio na barriga. E o "frio" vem da mistura de diversos sentimentos: expectativa, medo, alegria, ansiedade, vontade. É um desafio e tanto.

Diferente de outros projetos da Unisc com o mercado dos quais já participei - como o Q? (Gazeta do Sul), Na Pilha (Folha do Mate) e Página 7 (Riovale) -, que havia uma seletiva apenas para entrar e depois trabalhávamos em equipe, o "Aprendiz na Copa" é uma competição. Haverão provas, eliminatórias e, por fim, um vencedor. Entendem, agora, o tal do "frio"?

A nossa primeira tarefa já foi anunciada: fazer uma matéria para o rádio, em dupla, de dois minutos, sobre a palestra do Juca Kfouri, que será amanhã à noite. A segunda etapa é uma das quatro aulas que teremos com o Leandro Siqueira, gerente de jornalismo da Rádio Gazeta, que acontece nesta sexta, dia 21, às 9h. Nestas oficinas preparatórias aprenderemos a exercer as funções de repórter, apresentador, narrador, comentarista e plantão, que depois serão exercidas por nós e julgadas.

Entenda o processo de eliminatória (crtl C+crtl V da matéria do Portal GAZ, da Jeniffer Gulart): "esta equipe fará a cobertura dos primeiros três jogos da seleção brasileira na Copa. A partir da fase classificatória, as oito melhores notas passam para o processo de eliminatória.  Até o final da Copa, em cada etapa serão eliminados dois participantes. Os alunos acompanharão os jogos e ainda irão compor o programa "Sala da Copa" transmitido pela Gazeta AM, após cada partida. Se a Seleção não avançar no torneio, outras partidas serão escolhidas para testar os candidatos. Conforme gerente da Rádio Gazeta Am, Leandro Siqueira, além do corpo de jurados, os alunos serão julgados pelo público em uma canal disponível pela rádio."

A Seleção de Dunga?

Todo mundo comenta (e critica) a Seleção convocada por Dunga para a Copa do Mundo da África anunciada na semana passada. Mas será que esta escalação foi feita por ele mesmo? Tenho cá minhas dúvidas.

E estes pontos de interrogação se multiplicaram depois da reportagem - excelente, por sinal - do repórter Felipe Zylbersztajn, para a Revista Poder, sobre o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Hoje, ao procurar conteúdo para o meu post no blog do Na Pilha - caderno jovem do jornal Folha do Mate, para o qual eu e mais alguns colegas da Comunicação estamos preparando um evento e participando de edições do caderno, eu como diagramadora - achei uma charge do Maurício Ricardo, para o site Charges, que fomenta a pergunta: a Seleção Brasileira foi mesmo escolhida pelo Dunga? Ou outro Ricardo, o Teixeira, tem (grande) participação nisso?

Uma imagem fala mais do que mil palavras

Não concordo sempre com esta máxima, mas neste caso, sim. O Grêmio venceu o Santos de virada, ontem, no Olímpico, por 4 a 3. Os Meninos da Vila bailaram em campo, é verdade. Mas não conseguiram segurar os guris da Azenha. Não sou contra as danças comemorativas dos gols, muito pelo contrário. Acho válido. Divertido. Mas que fez mais coreografias ontem foram os "Jonas Borges". Ganso e cia dançaram de outra forma.

Montagem "roubada" do Blog do Juca Kfouri.

Eu sou uma aprendiz!

Não tenho nem vontade de reclama da convocação do Dunga - que exluiu o Victor, e deixou o Ronaldinho Gaúcho e o Paulo Henrique Ganso na reserva dos "sete" - nem do Grêmio que acabou levando um gol que não precisava, quando vencia de virada o Santos por 4 a 2. Pois agora eu tenho a honra de ser uma aprendiz na Copa.

Fiquei sabendo da escalação através do blog do Curso de Comunicação. Além de mim, outros nove colegas forem chamados para o projeto da Unisc e Rádio Gazeta Am. Confira a lista completa:

1 Carolina Biscaglia
2 Diogo Lima Paz
3 João Cleber Caramez
4 Joana Scherer
5 Lucas Adolfo Baumhardt
6 Mariângela da Rosa
7 Nicolas Fraga
8 Tiago Mairo Garcia
9 Vanessa Kannenberg
10 Veridiana de Souza Guimarães

Sendo assim, com o resultado anunciado, posso, finalmente, publicar o comentário e o boletim que fiz para concorrer a uma vaga nessa seleção. Como fiz há quase duas semanas, otema foi o Grenal de número 381. Confira e opine:







Juca Kfouri na Unisc

Um dos jornalistas que mais acompanho em termos de futebol vaiestar na Universidade na qual estudo dentro de poucos dias. Traduzindo: Juca Kfouri é o convidado do Diálogos Universitários desse ano na Unisc. Estará aqui no dia 20 de maio, a partir das 18h30, no auditório central, falando sobre o tema "Brasil: o país da Copa".

Por si só, está já é uma boa notícia - me isncrevi no evento assim que fiquei sabendo, ontem à noite. Mas ainda tem mais. Estou tentando descolar uma entrevista exclusiva com O cara para o próximo jornal Unicom. Além disso, fui indicada pelo curso de Comunicação da Unisc, junto de outros dois alunos, Diogo Lima Paz e Marília Geherke, para fazer uma matéria sobre a palestra que será avaliada pelo Diálogos Universitários, sendo que a melhor das três será premiada e publicada no site do evento. Esta é segunda vez que tenho o privilégio de participar - a primeira foi na palestra do Caco Barcelos.

Segundo a divulgação do evento, a palestra abordará histórias do futebol, cases de sucesso do esporte, a necessidade e resultado baseado no trabalho em equipe e a relação do Futebol com a Sociedade Brasileira. Desde já, espero ansiosamente pelo Juca Kfouri.

Abaixo, o cartaz de divulgação do evento com a programação e todos os dados.

Seu próximo hábito vem aí!

Sem muitos detalhes, estou convidado vocês para o lançamento do jornal-laboratório Unicom com tema Hábitos, do qual fiz parte como diagramadora e repórter. Será na próxima terça-feira, dia 11 de maio, às 20h30 no Centro de Convivência da Unisc. Espero vocês lá!

Confere o convite viritual neste link: http://migre.me/CaSZ

O cartaz, que foi espalhado pela Unisc, é a imagem ao lado.

E, ainda, se quiser ficar por dentro dos bastidores da feitura do jornal e ter acesso a conteúdo exlusivo, basta acessar o Blog do Unicom - que inslusive foi classificado para o Intercom Regional. Por último, pode seguir a equipe do Unicom pelo twitter @JornalUnicom.

Meus presentes de aniversário

No dia do meu aniversário, 2 de maio, ganhei vários presentes muito especiais. Da concunhada, da sogra (um churrasco, com direito a bolo, velinhas e cerveja), do namorado (que ainda está para chegar), de amigos paulistas - entre eles, o do Fachini: 57 figurinhas que eu não tinha, e que ele tinha repetidas - e mensagens telefônicas, virtuais e via sms que me deixaram pra lá de feliz.

Mas não acabou por aí. Ainda fui presenteada com algo que não é físico nem palpável. Mas que foi pra lá de especial: Grêmio, Campeão Gaúcho 2010. Há! Que felicidade! Apesar de já presumir a vitória do Tricolor amado, depois daquele feliz 2 a 0 no Beira-Rio, a apreensão foi grande longe das terras gaúchas - não de tããão longe, afinal, Campinas é logo ali, basta atravessar dois estados em 1h e meia de avião -, mas é distante o suficiente pra não ter disponível a transmissão do 381. Grenal na tevê.

A solução foi acompanhar a Rádio Gaúcha pela internet. Nada tão ruim assim. Mas eu, desacostumada a essa mídia na hora dos jogos, quase infartei. Apesar de ter escutado muito mais ataques do Grêmio, parecia que a qualquer minuto o Colorado ia ampliar o 1 a 0. E o medo dos pênaltis? Que sufuco. E que alívio depois dos 90 e pouco minutos de apreensão. Enfim, meu aniversário estava completo.

Abaixo, foto da comemoração na casa do Fernando, com ele e minha sogra,

Oito Gremistas e nenhum colorado na seleção do Gauchão

Esta notícia é mais uma prova de quem é o campeão Gaúcho 2010 e porque o é. Sem mais palavras, o resultado que elegeu a Seleção do Campeonato Gaúcho desse ano (da qual eu já havia falado), votados pelos internautas no site da Federação Gaúcha de Futebol depois de indicados pela imprensa e representantes dos clubes, fala por si só. Veja:


Goleiro : Victor (Grêmio) 

Lateral-direito: Edílson (Grêmio)

Zagueiros: Mário Fernandes (Grêmio) e Rodrigo (Grêmio)

Lateral-esquerdo: Paulinho (Novo Hamburgo)

Volantes: Adílson (Grêmio) e Itaqui (Caxias)

Meias: Guilherme (São José)  e Douglas (Grêmio)

Atacantes: Jonas (Grêmio) e Borges (Grêmio)

Dirigente: Carlos Duarte (Novo Hamburgo)

Craque: Marcelo Costa (Caxias)

Revelação: Maylson (Grêmio)

Goleador: Jéferson (São José)

Árbitro: Leandro Vuaden

Assistente: Tatiana Freitas


Foto dos vencedores, via ClicEsportes

Inter pega "reba" do Grêmio

Reba, pra quem não sabe, era como chamávamos, eu e meu colegas no Mauá, o "resto", a "sobra". Se uma guria fica com um guri que outra não quis, a segunda estaria pegando a "reba" da primeira. Entende? Se sim, vocês entendem que o Internacional pegou a reba do Grêmio no que diz respeito à Musa do Gaúchão 2010.

Ana Paula Consorte dos Santos, de 18 anos ficou em segundo lugar na votação para ser representante do Tricolor este ano. Aline de Oliveira Machado, 21 anos, foi anunciada como Musa do Grêmio em 14 de abril. Oito dias depois, o Colorado ancuncia sua representante. Adivenhem quem? A sobra. A mesma Ana Paula desclassificada pelo adversário.

Dúvida? Olha a página do Grêmio e depois o site do Inter, no qual a loira diz ser torcedora do clube do Beira-Rio. É que o Inter gosta de ser o segundo, não tem jeito.

Os melhores do Gauchão em votação

A Federação Gaúcha de Futebol (FGF) está promovendo, em seu site oficial, a votação para eleger os melhores do Campeonato Gaúcho 2010. A novidade deste ano é que o torcedor pode votar pela internet e escolher o seu jogador preferido. Além dos atletas, também serão escolhidos os melhores dirigentes, árbitros e técnicos.

A escolha dos três melhores de cada posição foram eleitos por jornalistas dos principais veículos de comunicação do Estado, mas a decisão final é dos internautas.

Se fosse um Grenal, o Grêmio sairia na frente. O Tricolor tem nove jogadores concorrendo: Victor, Edílson, Mário Fernandes, Adilson, Maylson, Rodrigo, Douglas, Borges e Jonas, além do técnico Silas. Jonas e Mário ainda concorrem ao troféu de melhor jogador do campeonato e Maylson e Mário ao de jogador revelação. O Inter tem apenas seis jogadores na disputa: Nei, Kléber, Sandro Guiñazu, Giuliano e Alecsandro. Nas categorias técnico, revelação, melhor jogador e direção não tem nenhum represante.

Eu votei nos que considero melhores (veja na figura), nada muito imparcial, diga-se de passagem. E também pelo que acompanhei do Gaúchão, que foi pouco fora os jogos do Grêmio. Quem quiser votar, acesse a enquete no site da FGF.

O resultado da votação e a premiação ocorrem no dia 3 de maio.

Uma ótima opurtunidade!

Bom, se ela só é ótima pra mim e não pra você que esá lendo, pode ser. Mas ainda assim, ela continua valendo pelo tema do blog. A oportunidade é de exercer radiojornalismo esportivo. Ou seja, colocar na prática - e no ar - o que nós aprendemos em sala de aula  (nós os alunos de Comunicação Social da Unisc) com um ótimo tema: esporte.

O programa, uma parceria entre a Coordenação do curso e a Rádio Gazeta AM, se chama Aprendiz na Copa e "nós" podemos nos isncrever até o dia quatro de maio entregando um CD com uma série de quesitos que podem ser vistos no cartaz de divulgação ao lado.

Antes que me perguntem se eu vou me inscrever, digo que sim. Apesar do rádio como mídia para trabalhar não ser bem a minha praia, mais por achar que não levo jeito do que por não gostar, vou tentar. Afinal, antes de tudo, é uma ótima oportunidade.

Meu primeiro álbum de figurinhas

Quando eu exclamei a frase do título assim que chegou encartado na Zero Hora dominical o álbum de figurinhas oficial do Mundial da África do Sul, minha mãe disse: "É meu gurizinho mesmo..."

Mas nem isso foi capaz de conter a minha emoção. Na segunda-feira, assim que consegui tirar o meu corpo gripado da cama, corri em direção à ZH e peguei as quatro figurinhas que vieram gratuitamente - tirando as outras quatro do Ourocard, mas não conta. Recortei uma por uma - eu não sabia que elas não vinham descartadas - e colei nos seus respectivos números. Fernando Torres (ESP), Steven Gerrard (ENG), Aaron Lennos (ENG) e Hugo Lloris (FRA) sorriram pra mim.

Agora, pois, sou oficialmente uma colecionadora. Em breve pretendo passar na banca mais próxima e adqurir mais alguns. Meu querido namorado não deu bola para o seu álbum e já me prometeu as quatro figuras dele. Se alguém mais aí quiser doar ou então trocar, fico (mega) feliz em saber.

Pra provar que não sou eu a única empolgada com as figurinhas, um post do Patti, jornalista da ESPN.

Jogadores beijoqueiros

Hoje, 13 de abril, comemora-se o dia do beijo. Apesar de achar esta data um tanto quanto sem sentido, afinal, não é comercial - ao menos acho que não é comum vender bitocas -, nem tampouco comemorativa. No entanto, porque não aproveitar a oportunidade e relembrar os beijoqueiros dentro das quatro linhas?


O último caso de que me lembro é um beijo entre adversários. Willians, do Flamengo, depois de cometer falta em Philippe Coutinho, pela Taça Rio desse ano, tascou um beijo na bochecha do vascaíno. A namorada de Willians ficou até com ciúmes...


Beijo: Wllians em Phillipe Coutinho


Aqui no Brasil, até árbrito já enfrentou a fúria dos beijoqueiros dentro de campo. Em 2007, de novo numa disputa da Taça Rio, desta vez na final, o zagueiro do Cabofriense Cléberson, após fazer falta no Botafogo e perceber que o juíz se aproximava para lhe punir, não pensou duas vezes: deu um beijo no rosto do árbitro Ubarici Damásio. A recíproca não foi tão boa: um cartão amarelo.


Beijo: Cléberson no árbrito Ubarici Damásio


Na Inglaterra, os jogadores também adotam o beijo como espécie de descarrego. Um dia depois de acertar um soco em um colega de Newcastle, o atacante Andy Carroll fez o gol da vitória do seu time sobre o Doncaster, em jogo válido pela Segundona do Campeonato Inglês e, na comemoração, o meia Kevin Nolan deu praticamente um beijo na boca do “brigão”.


Beijo: Kevin em Andy

Há muitas outras cenas de bitocas no mundo futebol, mas não há tempo para contar todas. Confira algumas fotos - certas até bem calientes - e me diga: beijos, seja qual fora a finalidade, são formas válidas dentro de campo?



Meu novo desejo: "11 gols de placa"


Há algumas horas encomendei pela livraria da Unisc, onde tenho direito a um livro por mês por conta do meu dindo querido, meu novo desejo que une minha profissão, jornalismo e, por enquanto, meu hobby, futebol.

11 Gols de Placa: uma Seleção de Grandes Reportagens sobre o Nosso Futebol foi lançado em março e é organizado pelo jornalista e historiador Fernando Molica. O volume reúne 11 reportagens investigativas sobre o mundo e submundo do futebol. Tomei conhecimento da obra no blog do David Coimbra e fui atrás para saber do que se tratava. E adorei.

Em entrevista à Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI), da quel é ex-diretor, Molica diz que quando começou a escrever o livro, se lembrou de "que nunca tinha visto na faculdade reportagens importantíssimas do jornalismo brasileiro. A idéia da coleção é resgatar esses trabalhos”.

A quem não se convenceu da importância do livro, no site da Associação encontrei uma boa justificativa: "Além de trazer um tema que está em voga com a proximidade da Copa do Mundo, a escolha de futebol como assunto para o terceiro volume da série serve para mostrar que o jornalismo investigativo não precisa se restringir a temas como política ou direitos humanos. 'É possível fazer jornalismo investigativo em qualquer área. Tem havido um aumento nas reportagens esportivas com teor investigativo, e o livro é uma forma de reconhecer isso', diz Molica"

Na sinopse da obra, ainda descobri que há textos de making of de Marcos Penido, João Máximo, André Rizek, Juca Kfouri, entre outras feras do jornalismo esportivo. Uma das reportagens é do jornalista da Zero Hora, e que palestrou na Unisc no ano passado, Diogo Olivier, intitulada “Desemprego Futebol Clube”.

Agora, espero anciosa pelo comunicado da livraria: seu livro está à disposição.

Gauchão nos extremos (2)


Foto: Diego Vara / ClicEsportes

Ontem escrevi um post dizendo que o Gachão estava sendo defendido na disputa de pênaltis, caso dos três primeiros jogos das quartas-de-final. E não é que o último embate também foi extremado?

Grêmio versus Pelotas não chegou aos pênaltis, mas foi decidido com duas cobranças de penalidades máximas e com um Tricolor de 10 jogadores em campo. O primero gol do jogo - e único do Grêmio -, feito por Maylson aos 47min do 1o tempo, foi o único "normal". Os outros dois do Pelotas foram feitos de pênalti por Thiago Duarte, aos 21 e aos 33min do 2º tempo. O dono da casa ainda perdeu Leandro, expulso ao chutar o assitente.

Pois bem. O Grêmio não só está fora das semi-finais da Taça Fábio Koff e forçou um confronto para a decisão do Gauchão, como perdeu sua invencibilidade no Olímpico, parou nos 51 jogos invicto. E, ainda, interrompeu sua série de vitórias consecutivas no número 15.

Depois dessa partida mal jogada e dessa interrupção de recordes, só me resta torcer para que o time não se perca, ache que os números anteriores eram falsos. Porque não eram. O Grêmio tem um bom time e está jogando um ótimo futebol. Espero que não comecem as "frescurinhas"...

Gauchão nos extremos


Será que os times gaúchos estão em condição semelhantes? Creio que não. Mas o que, então, está levando o três dos quatro jogos das quartas-de-final do Gaúchão (Grêmio X Pelotas está ocorrendo agora) para a decisão nos pênaltis?

Entre os times que sofreram ontem para seguir adiante no Estadual estava o Internacional, que ganhou do Noia, e o Caxias, campeão do Interior por antecipação este ano e que caiu fora ao perder para o Ypiranga. Hoje, o São José ganhou nos pênaltis do Inter-SM.

Creio que falta futebol.

Dourado, um único defeito

Homofóbico, machista, grosso. Nenhum dessde adjetivos considero como defeitos de Marcelo Dourado, vencedor do prêmio de 1,5 milhão de reais do BBB10. Não porque sejam qualidades, mas porque não acredito que ele os seja integralmente. Mas colorado... essse sim, é um defeito difícil de engolir.


Na foto acima, tirada logo após a vitória, Dourado veste uma camiseta do Inter doada pelo zagueiro santa-cruzense Bolívar que foi levada por um parente ao estúdio do BBB. (Foto: AgNews)

Com este mídia espontânea a seu favor, o Internacional vai mesmo é aprveitar. O clube já afirmou: só está à espera dos compromissos do gaúcho com a Globo findarem - como a ida ao Faustão no próximo domingo, que o impede de ir ao jogo contra o Universidade -, para trazer o famoso torcedor para os eventos do clube e promover-lhe uma homagem. Um deles seria o desfile no Donna Fashion, no próximo dia 10.

RTs para Armando Nogueira

Com um dia de atraso, é verdade, mas cá estou para falar da morte de um grande jornalista do nosso país: Armando Nogueira. Confesso que não tinha conhecimentos profundos dos feitos deste cara. O conhecia, claro. Mas, desde ontem, ao ler homenagens e reportagens sobre ele, me apaixonei por sua escrita e seu amor ao futebol.

Tendo em vista que não posso deixar a data e a memória de Nogueira passar em branco aqui no blog - sendo que o tema deste é futebol e quem vos escreve é jornalista - , apresento-lhes dois posts de outros grandes jornalistas, ao meu ver, David Coimbra e Juca Kfuri.



Aprenda com um dos mestres de David Coimbra

Morreu Armando Nogueira, um dos estetas do texto do jornalismo brasileiro. Não do tal “jornalismo esportivo”, que isso não existe. O jornalismo não pode ser esquartejado como se fosse um boi de açougue: o coxão de dentro do jornalismo, a alcatra do jornalismo, o filé. Jornalista é jornalista em todas as áreas. Armando Nogueira era um desses espécimes. Comandou o Jornal Nacional, e o fazia da economia a variedades.
Mas, é verdade, gostava mais de esporte. Quando escrevia sobre esporte, se soltava. Escrevia como um passarinho. Para homenageá-lo vou fazer com que ele próprio se homenageie. Tenho cá uma Revista Senhor de 1960 em que Armando Nogueira escreveu um perfil daquele que se tornaria um de seus personagens favoritos: Pelé. Vou reproduzir o trecho inicial da matéria de Armando para que você beba um pouco de sua arte, para que você, estudante de jornalismo, candidato a beletrista ou escrevinhador de e-mails, aprenda com quem sabia fazer:
“Tem 20 anos, entende de fotografia, chuta com os dois pés, namora (escondido da imprensa) uma garota de Santos, tem voz de barítono, pele negra acetinada, é sonso na área, enquanto a bola não vem, ganha cerca de 300 mil cruzeiros por mês, gasta 30 e manda o resto para a família, em Bauru. Nasceu em Três Corações, Minas Gerais, e tem tais afinidades com o futebol que certamente nasceria bola, se não tivesse nascido gente”.



Mestre Armando de Juca Kfuri

Amanhã você lerá nos jornais quase todas as façanhas de Armando Nogueira.
Resumidamente, é claro, porque daria para fazer uma edição inteira só com elas.
Mas nunca mais você terá o privilégio de poder abrir um jornal e ler que “Ademir da Guia tem nome, sobrenome e futebol de craque”.
Ou que “Deus castiga quem o craque fustiga”.
Ou que ” Se Pelé não tivesse nascido gente teria nascido bola”.
Nunca mais.
Mestre Armando dizia também que “o bom jogador vê a jogada, o craque antevê”, e ele, como craque que era, antevia não só a jogada, como a notícia.
Se há apenas uma palavra da língua portuguesa para defini-lo esta é, sem dúvida, delicadeza.
Língua cultivada e cultuada por este apaixonado pelo Botafogo, pelo Acre e por voar de ultraleve, coisa para qual se dedicou até a semana anterior da descoberta, três anos atrás, da doença que o levou.
Uma excelência entrou no Paraíso.

Avenida, eu acredito


Foto: Thiago Barbosa/PortalGAZ


E não é que o Esporte Clube Avenida provou que o dito gaudério "não tá morto quem peleia" realmente existe? Pois, ontem, o Periquito ergueu-se e conquistou sua segunda vitória no Gaúchão, a primeira da Taça Fábio Koff, diante do Juventude, no estádio Eucaliptos, por 1 a 0.

Com os três pontos - e com a ajuda do principal adversário na luta contra o rebaixamento, já que o Porto Alegre empatou - se continuar peleando e vencer o mesmo Porto Alegre no próximo domingo, às 16h30, na capital, o clube alviverde continua na série A do estadual no ano que vem.

Depois de tantas derrotas, empates e viradas, lanço a campanha: Avenida, eu acredito!



CORREÇÃO indicada pelo amigo Joel Haas: o Avenida só não cai se vencer. Se empatar ou perder, volta pra série B.

O Cinquentão

O Grêmio Foot-ball Porto Alegrense comemorou hoje um aniversário que não se deve a sua data de criação, fundação, ou algo do gênero. O Tricolor vem quebrando recorde em cima de recorde. Ha quatro rodadas, superou a marca do arqui-rival, o Internacional, que era de 45 partidas de invencibilidade, e, neste domingo, festejou 50 JOGOS sem perder no Estádio Olímpico Monumetal.

A cobaia para a comemoração foi o Esportivo que, ao perder de 2 a zero para o time da casa, teve que aguentar o canto dos menos de 10 mil torcedores tricolores. Os gols de William Magrão, aos 11 minutos do primeiro tempo, e de Maylson, aos 12 minutos do segundo tempo, deram ao time da Azenha a soma de 14 jogos sem perder e resultaram na 13. vitoria consecutiva.

Eis, pois, um consagrado e merecido Cinquentão.

RT do Gross

Por que não aprender com os grandes f****? Pois, se penso um dia seguir a carreira no jornalismo esportivo - que fique claro que ainda não optei por nenhum área nem mídia específica, por pensar que não devo focar e, sim, abrir possibilidades - preciso aprender com os caras que entendem da coisa.

No post de hoje, o Nando Gross, jornalista do Grupo RBS, fez uma comparação muito legal e bastante imparcial, ao meu ver, entre os jogadores do Grêmio e os do Inter, de acordo com a posição em que jogam. Apesar de conhecer mais o time do Tricolor, e não ter reais possibilidades de desenvolver tal raciocínio, com o que sei, condordo com ele.

A seguir, então, o texto do Nando - o colorido é obra minha.

Quem tem os melhores jogadores?

Quem tem os melhores jogadores na sua equipe titular?
Quem tem vantagem neste Gre-Nal?


Eu lanço minha opinião, com todas os riscos de desagradar muita gente, mas é só a minha opinião, e fico esperando a de vocês. Depois faremos uma média do pensamento geral.


Victor X Abbondanzieri - A história de Pato não se discute, mas no momento, Victor é a minha escolha.
Nei X Edílson - Nesta não dá ainda para apontar vantagem para ninguém. Fico com a coluna do meio.
Mário X Índio - Índio tem uma história fantástica no Inter, mas Mário Fernandes surge com uma técnica superior e com potencial para ser um dos zagueiros para a Copa de 2014.
F.Eller/Bolívar X Rodrigo - São zagueiros equivalentes, mas, no momento, considero Rodrigo melhor.
Fábio Santos X Kléber - Kléber é um dos melhores jogadores do Inter, na minha opinião o melhor em atividade no país e candidato à Copa.
Sandro X Ferdinando - Ferdinando tem cumprido sua função, mas Sandro é mais jogador, certamente estará na seleção brasileira nos próximos anos.
Adílson X Guiñazu - Adílson tem crescido tecnicamente, é jovem e tem tudo para evoluir, mas (hoje) considero Guiñazu mais jogador.
Giuliano X Maylson - Maylson cresceu muito, mas Giuliano é um jogador mais afirmado. Está prejudicado pelo mau momento do time, mas voto nele nessa nossa disputa.
D’Alessandro X Douglas - Na boa, é meu segundo empate. Os dois jogam muita bola. A vantagem do argentino é marcar mais gols, mas nessa eu fico no muro.
Jonas X Taison - Meu voto é Jonas.
Borges X Alecsandro - Borges, no momento tem sido mais eficiente.


Lembrando, não é apenas isto que define qual o melhor time, fosse assim e não precisava treinador. Mas é claro, são os jogadores que entram em campo então é lógico que ter os melhores é o primeiro passo para a vitória. Vamos lá, resultado final da minha escolha:


GRÊMIO - 5
INTER - 4
EMPATES - 2



Muito equilíbrio, o que mostra que a decisão vai se dar pelo trabalho coletivo. Neste quesito, o Grêmio tem sido mais eficiente. Depois dos comentários, faremos o placar final.



E aí, tu concordas com o Nando Gross?

Dança da Copa

Alguém sabia que Copa do Mundo tem dança oficial? Pois eu não. Divagando pela internet, um dos meus hobbies favoritos, descobri que, além de existir, a de 2010 será a Diski Dance.

Após a esfuziante vuvuzelas da Copa das Conferações, a música da Copa da África do Sul é uma mistura de ritmos que é coreografada com movimentos do futebol. Ou seja, embaixadinha, dribles, pedaladas, cabeçada e toque de letra são dançados de acordo com a música, como é visto no clipe oficial abaixo.

A campanha da Diski Dance pertence ao órgão responsável pelo turismo na África do Sul, e em breve estará nas TVs do mundo através de canais como a CNN, BBC, Eurosport e Skysport.



Gostou? Quer aprender a dançar? Assista ao vídeo abaixo e "FEEL THE RHYTHM OF AFRICAN FOOTBALL" - conforme a sua descrição no Youtube.

Grêmio na próxima Libertadores?

Ao que parece, está confirmada a chance do Grêmio - e também de Palmeiras, Avaí, Atlético-MG, Goiás, Grêmio Prudente (antigo Barueri), Santos e Vitória - ter vaga garantida na próxima temporada da Taça Libertadores do ano que vem. Para isso, basta que vença a Copa Sul-Americana deste ano.

Esta é uma reivindicação antiga dos clubes à Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e foi atendida, segundo o colinista do jornal O Globo, Renato Maurício Prado, que será divulgada oficialmente somente no dia 28 de abril,, quando seráo sorteados os grupos da Sul-Americana.

RS na África



Africanos e turistas que forem à Copa do Mundo de 2014 serão apresentados ao Rio Grande do Sul na África do Sul. O ônibus custumizado pela empresa gaúcha Marcopolo vai circular pelo país para divulgar o nosso estado, tanto o povo, quanto a cultura.

A ideia, que partiu do do secretário Extraordinário da Copa do Mundo 2014, Paulo Odone, ex-presidente do Grêmio, faz parte do programa “O Rio Grande Te Espera”.

Grandes caem pelas tabelas

O título do post é literal. Alguns dos grandes times do Brasil estão com péssimos desempenhos nos estaduais e descem posições nas tabelas. Entre eles Palmeiras, Corinthians, Vasco e Inter. Nenhum deles conseguiu vencer na noite de ontem, dia 24.

O Palmeiras empatou com o então lanterna do Camapeonato Paulista, o Rio Branco, em 2 a 2. Com o resultado de míseros 23 pontos, o Verdão praticamente perdeu as chances de classificação para as semi-finais e se voltar exclusivamente para a Copa do Brasil.

Já o time de Ronaldo, que esteve em campo, conseguiu perder para o Paulista por 1 a 0 e deixou a zona de classificação do Estadual. Com 26 pontos, o Corinthians está em quinto lugar e ainda corre o risco de cair mais ao longo desta rodada.

No Campeonta Carioca, o Vasco completou sua quarta partida sem vitória. Perdeu, ontem, para o Americano por 3 a 2, pela sexta rodada da Taça Rio. O único ganho do alvi-negro, que segue com nove pontos e ocupa a terceira posição no Grupo B, foi a demissão do técnico Vágner Mancini.

Aqui no Rio Grande do Sul, a quarta ganhou um único nome: Zequinha. Sem ganhar do Internacional desde 1965, o São José goleou o rival com 3 gols a 0. Provenicnete de uma seqüência de quatro empates, incluindo dois na Libertadores, o aproveitamento do Colorado é de 68,88%, resultando na queda para a terceira posição do Grupo B do Gaúchão. Soma-se a isso, ainda, a dúvida quanto à permaencia do técnico Jorge Fossati.

É... passados gloriosos não garantem um igual presente.

Campanha apoiada



Se bem que eu já ganhei um numa comemoração de gol e eu gostei...

Pelé sobre Ronaldinho


Foto: paineis feitos para uma loja do Santos, disponibilizada no blog Educaricaturuas.

Frase proferida por Pelé, em entrevista à agência Reuters, sobre o Ronaldinho Gaúcho:

- Se o Ronaldinho estiver jogando esse futebol... Acho que seria uma boa peça porque ele pode ser um jogador útil numa hora em que os mais jovens, que nunca jogaram uma Copa do Mundo, se sentirem um pouco pressionados."

Dunga, tudo bem que eu só uma guria que gosta de futebol. Mas o Rei do Futebol tu poderia ouvir, né?

Abaixo, veja um vídeo sobre o assunto da ESPN Brasil.

A polêmica rosa (2)

Para fomentar ainda mais a polêmica rosa - entenda o caso neste post -, o técnico do Atlética-MG, Vanderlei Luxemburgo vestiu o uniforme de treino do time no jogo de hoje contra o Villa Nova, no Campeonato Mineiro. Para o treinador que usava em rosa no máximo a gravata, é uma lenha e tanto para esta fogueira.



O treinador, que até então só se apresentava nos gramados de terno e gravata, entrou fardado esportivamente e explicou-se em seu blog pessoal:

-Também quero aproveitar para enaltecer todo o departamento de futebol do Atlético pelo lançamento da camisa rosa. Foi uma grande jogada de marketing e ela está esgotada nas lojas. As bobagens que têm sido faladas fazem parte da cultura do nosso povo.

Até o Globo Esporte fez uma enquete sobre o assunto e a resposta foi: 50% a favor, e 50% contra o rosa no uniforme. Veja a matéria completa, inclusive com uma "cutucada" aos anti-rosa do Vanderlei Luxembrugo, no vídeo abaixo:

30 vezes Ronaldinho

Hoje, 21 de março de 2010, Ronaldinho Gaúcho comemora 30 anos. Vivendo uma fase meio obscura, na qual é renegado pelo técnico da Seleção Brasileira e contestado no Milan, seu time atual, o craque, ainda por cima, não teve comemoração digna de sua trajetória. O Rubro-negro empatou em 1 a 1 com o Napoli num jogo que valia a ponta do Campeonato Italiano hoje.

No entanto, o guri revelado pelo Grêmio não deixou o sorriso de lado, sua marca registrada. Como ele mesmo disse em seu blog, "Semana boa, semana ruim, cada semana uma história nova para contar…" Bem que ele podia contar a história dele novamente aqui no Grêmio. No site do R10, a página inicial está totalmente dedicada a mensagens de fãs (veja foto abaixo). E eu deixei a minha: "bem que tu podias voltar a jogar no Grêmio, né".



E para os que esqueceram do que é capas o craque (como o Dunga) e, também, para homenageá-lo e deixar os meus parabéns, deixo o vídeo com algumas das grandes façanhas de Ronaldinho Gaúcho.

Rapidinha



Ontem, sábado, dia 20, um jogo de futebol envolvendo o Santos FC não teve Robinho como principal atração e, sim, o estádio sede da disputa: o Red Bull Arena (foto), localizado em Nova Jersey, nos EUA. O time do atual alvo de puxa-saquismo da grande imprensa, ao lado do gordo Ronaldo, perdeu para o dono da casa, Red Bull New York, por 3 a 1. Tá certo que o craque das pedaladas não atuou, mas, mesmo assim, valeu pela mudança de foco.

Curiosidade: o time dos garotos da Vila era conhecido como "plantador de estádios" na década de 60, devido aos diversos convites recebidos para inaugurações. O jogo de ontem foi o 21º jogo inaugural do Alvinegro, sendo que 14 são de vitórias, quatro empates e três derrotas.

Dunga, convoca o Ronaldinho

Faço coro à mídia que anda pressionando o técnico da Seleção Brasileira a convocar o Ronaldinho Gaúcho para a Copa do Mundo desse ano. Mas também não acho que, só por não levar o craque do Milan para a África, ele cdeixa de ser um bom treinador. Só não entendo o puxa-saquismo com Robinho e Adriano - e nessa a grande imprensa está junto com Dunga. Whatever, isso já é papo pra outro post.

Na campanha "Dunga, convoca o Ronaldinho", acho que uma das formas mais criativa e divertida de expressão foi os recentes funks disseminados na internet. O primeiro deles foi compoto por Mc Vozão. O  segundo, é de Mc Bellot. Ouça os dois abaixo e, se você for contra a convocação do ex-Grêmio, ao menos vai dar boas risadas.






E aí, na tua opinião, o Ronaldinho deveria ou não ser convocado pelo Dunga?

NÃÃÃÃÃÃÃÃÃO

Espero que meu grito de lamúria fique bem claro: o Victor fora do Grêmio não!!!

Entenda o porquê da minha revolta na notícia veiculado, hoje, pela Gazeta Esportiva, na qual consta que o goleiro vai deixar o Tricolor gaúcho após a Copa do Mundo da África e iria para o futebol italiano.



Na foto acima, retirada do blog Gremistas na Bahia, vai dizer que Victor - pra mim, o grande craque na atualidade do Grêmio - não parece ecoar o mesmo grito que eu? NÃO!

Para a minha alegria - e esperança - o site oficial do clube gaúcho veiculou uma notícia dizendo que "não existe nenhum interesse na venda do goleiro Victor neste momento em que o clube disputa competições tão importantes como a Copa do Brasil e o Campeonato Gaúcho."

Por que criticar Silas?


Foto: Mauro Vieira - ClicEsportes

Eu sou uma crítica ferrenha a quem critica técnicos de futebol - com o perdão da repetição - há bastante tempo. No caso do treinador do Grêmio, Paulo Silas do Prado Pereira, fico ainda mais P da vida. E por vários motivos.

Em primeiro lugar, porque o técnico está há menos de três meses no comando do Tricolor gaúcho. Acho pouco tempo para estudar um time e colocá-lo nos "trinks". Para piorar, uma boa parte do elenco não está em campo, mas na ala hospitalar do clube. E esta parte, ainda por cima, é composta pelos craques do Grêmio de 2010, como Souza e Borges.

Com todas essas dificuldades, de não conseguir ter um time regular para as competições, Silas conseguiu trazer a taça Fernando Carvalho para o Olímpico, está mantendo a invencibilidade dentro de casa, que já soma 47 jogos, sendo que são dez jogos seguidos de vitória e o time sofreu apenas um gol em cinco jogos - que foi nogo aqui em Santa Cruz do Sul, que tive o "desprazer" de ver, feito pelo Avenida.

Se falta paciência ao críticos-de-técnicos, números a favor do técnico Silas não lhes faltam.

Football Comics

Via Kibe Loco:

Era apenas mais um jogo do futebol, mas um fato inusitado transformou o zagueiro suíço Stephan Keller, do Sydney FC, no centro das atenções da mídia australiana…



E você aí reclamando que seu atacante vai em festa de traficante. Francamente, viu!

Grêmio vence 12 adversários

Não, mesmo sendo guria, eu sei quantos jogadores atuam de cada lado em um jogo de futebol. Mas o Grêmio não disputou hoje a primeira partida da segunda fase da Copa do Brasil em Votarantim contra 11 adversários. Tinha o 12.: o gramado.

Mesmo com as péssimas condições do campo, a equipe tricolor venceu o Votoraty por 1 a zero, com gol de cabeça do artilheiro Jonas. No entanto, o resultado não evitou a partida de volta, que deve acontecer no Estádio Olímpico dia 1. de abril.

No vídeo abaixo, via Globo Vídeos, reveja o único gol da partida e repare na nova coreografia do atacante Jonas. Ele abandou o "Rebolation" e investiu no sertanejo.

A polêmica rosa

Desde ontem o Atlético-MG passou a ser alvo de polêmica. O motivo não é um uma briga entre torcedores e jogadores, nem dancinhas comemorativas de gols, muito menos relação de jogadores com o tráfico. O que vem gerando discórdia é muito mais brando, e por que não, meigo. É o novo uniforme de treino da equipe mineira.


Uniforme de treino rosa à direita. Fotos: Globo Esporte.

O rosa é tão clarinho que, para os desavisados, pode passar por branco. Mas o tom da vestimenta não amenizou a polêmica da coleção que foi assinada, pela primeira vez, pela Topper. O presidente do clube, Alexandre Kalil, vestido à carater durante a apresentação da coleção, de camisa e gravata rosa, justificou a escolha via twitter:

"Camisa rosa é pra quem pode! Pergunte sua mulher ou namorada se ela gostaria de te ver usando. Ela foi feita pra agradar nossas atleticanas."

Em Santa Cruz, a moda pink já se manifestou a mais tempo no futebol. A equipe Bar e Bola, que atua na série C do Campeonato de Futebol Society do Clube União/Copa Sicredi, veste a cor não nos treinos, e sim, nos jogos "oficiais".


A equipe santa-cruzense Bar e Bola no Clube União. Foto: do orkut do Fábio

Você vê algum problema em jogaadores de futebol usarem uniformes rosas? Comenta aí.

Pesquisar neste blog

Total de visitantes

Seguidores

Tem alguém aqui?

De onde vocês são?

Archivo del blog