Zappost*

Meu time dessa semana não foi muito bem, não. Calma, eu ainda não estou jogando futebol - espero montar um time feminino em breve. O time que foi mal na 31a rodada do Brasileirão se chama F.C. Chimarruts e é gerenciado por mim no Cartola FC (saiba mais sobre o jogo no Blogadão)

Nessa rodada, fiz apenas 40.37 pontos e acabei com 93.9 cartoletas. Minha colocação geral desceu para 284827º lugar. Também, com pontuação negativa do Victor (que nunca sai do meu Cartola), do Perea (GRE) e do Jean (SPO) e nenhum pontuador acima de 10 pontos, a não ser o Marquinhos (AVA) que fez 10,2, fica difícil. Abaixo, confira a minha escalação.





*Essa é minha nova seção: Zappost, um post rápido, ZAP.

A intesidade de um estádio

Assistir um jogo de futebol no estádio, ao vivo, em cores, é muito mais emocionante. O nervosismo com passes errados, a comemoração de um gol, o cantar da multidão que tem o mesmo objetivo, a decepção de uma derrota ou a alegria da vitória. No estádio, é tudo mais intenso. Confesso que não fui muitas vezes sentir tudo isso de perto. Mas, se dependesse de mim, teria ido muitas vezes mais. Mas nas oito vezes em que fui, não me arrepende de nenhuma, até mesmo quando meu time perdeu.

Dessas oito vezes, cinco foram no Rio Grande do Sul – o segundo estado brasileiro em número de estádios, segundo o Wikipedia. No Estádio dos Plátanos, que tem capacidade para seis mil pessoas sentadas e que pertencente ao Futebol Clube Santa Cruz, fui ver dois jogos do Gauchão, um contra o Grêmio e o outro contra o Esporte Clube Novo Hamburgo.

Na capital, só fui à casa do meu time do coração, o Olímpico Monumental. O estádio do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense tem capacidade para 55 mil pessoas e sediou dois jogos do Brasileirão aos quais fui ver. No primeiro, em 2007, o Tricolor perdeu para o Figueirense (foto 1). No ano passado, vi o Grêmio ganhar do Coritiba Foot Ball Club por 2 a 1 (foto 2).


(foto 1) Eu, meu pai Elói e minha irmã Carolina


(foto 2) Bruno Felipe, eu, minha irmã Luisa, Bruno José e Elói

Fora do Rio Grande, fui duas vezes ao terceiro maior estádio do país, o Morumbi, graças ao meu namorado fanático pelo São Paulo Futebol Clube, dono deste estádio. Em 2008, o time da casa venceu o Flamengo por 2 a 1 (foto 3). Este ano, tive a infelicidade de vero Grêmio perder para o São Paulo, também por 2 a 1 (foto 4). E ainda no estado de São Paulo, conheci o Brinco de Ouro da Princesa, que fica em Campinas, no jogo de Guarani e Brasiliense pela Série B do Campeonato Brasileiro.


(fotos 3) Eu e meu namorado Fernando


(foto 4) Fernando e eu

O mais recente estádio que conheci, foi o Alfredo Jaconi, sede do Juventude. O jogo não era lá muito importante, era apenas um jogo chuvoso da Copa Dallegrave, no qual o Ju perdeu por 1 a zero do Aymoré (foto 5). Mas fez parte de um feriadão em Caxias do Sul com muitos amigos. Valeu a pena.


(foto 5) Fernando, eu, Anapaula, Marília, Bruna, Luciana e Fernando

Espero que minhas visitas ao estádios não parem por aí. Afinal, vivo no país do futebol e um dos países que possuem mais estádios de futebol no mundo.

Pesquisar neste blog

Total de visitantes

Seguidores

Tem alguém aqui?

De onde vocês são?

Archivo del blog